sexta-feira, 9 de março de 2012

O Fauno Lunar





Recentemente entrei numa mental de tentar elaborar uma análise simbólica da canção "Sonho de Ícaro", do nosso finado Pisca, interpretada primeiramente pelo não tão nobre Biafra, e depois relida por alguns cantores menos expressivos, porém eventualmente até mais talentosos que ele. Enfim, não quero falar de música em geral.
Pois bem, a canção em tela possui diversas expressões que despertam ao longo do tempo a curiosidade das pessoas, tanto que achei até em um blog, certa feita, uma resposta supostamente do próprio Biafra, dizendo que ele nunca se preocupou muito em entender a letra da música, que pra ele o que valia era uma certa "musicalidade mágica" que a canção tinha. ¬¬' Xapralá, né?
Enfim, figuras imaginárias como o Fauno Lunar, Anjos de Gás e expressões como "faça o sinal" (que sinal afinal?!) e "dentro do bombom há um licor a mais" (como tem a mais se o bombom já tem a quantidade certa de licor e após a mordida ele passará a ter a menos, afinal parte já foi abocada pelo comensal...enfim...)
Diante do singular desafio de entender esses símbolos, acabei começando uma interpretação da música, que colocarei aqui. Como blogo pouco e provavelmente eu não retornarei aqui com uma parte II da interpretação, deixo isso como desafio para quem, porventura gostando do que fiz, queira colaborar.

Abaixo segue o trabalho...


Análise da Canção: Sonho de Ícaro (Pisca; intérprete Biafra)
Voar, voar
Subir, subir
Ir por onde for
Descer até o céu cair
Ou mudar de cor
Anjos de gás
Asas de ilusão
E um sonho audaz
Feito um balão...

Existem dois caminhos para se interpretar os versos acima a meu ver. Primeiro podemos imaginar que o autor está fazendo uma alusão poética a relação entre os sonhos e uma viagem de balão. Porque quando se está num balão só podemos controlar com maior propriedade o subir ou descer, de acordo com maior liberação de gás ou menor. Ainda assim se está “ao sabor do vento”, ou seja influenciado fortemente por coisas sobre as quais não exerce poder ou controle. Já um sonho, principalmente quando audaz, pode te levar às alturas, como também pode te conduzir à frustrações: quando o céu desaba, ou a conclusão do intento, que teria representado pelo fim do dia e cair da noite “ou mudar de cor” (referência à mudança de cores no céu de um dia claro próximo ao ocaso do sol). Assim o sonho seria mais sujeito à fracassos do que uma viagem de balão, inferindo na leitura uma suposta continuação do tema. Só que ao invés disso o autor sela a analogia com reticências e no final da estrofe, supondo que a referência ainda que sugira outras idéias, tais não foram desenvolvidas, devendo ser divagadas pelo leitor da canção. Ao mencionar anjos de gás e asas de ilusão, faria uma metáfora à decepção de tudo que te faz subir. (gás e asas projetam para o alto, mas apenas as asas também coordenam o vôo).
O outro caminho seria dissecar os símbolos isoladamente e tentar relacioná-los apenas quando assinalado pela própria canção. O ar não é domínio dos homens, e sim dos anjos e demônios, no mundo espiritual, chamados biblicamente de potestades do ar, bem como das aves, que simbologicamente representam irracionalidade, liberdade e em alguns contextos espiritualidade. O Espírito Santo tem por símbolo uma pomba branca, as águias são símbolos de poder e renovação de forças espirituais segundo o profeta Isaías, são também o símbolo da nação mais poderosa do mundo, os Estados Unidos da América. Oniricamente existem interpretações de seres alados representam poderes com livre ação sobre uma determinada pessoa ou situação por um período de tempo, pois por mais que voem, as aves precisam pousar. O vôo aqui, então, pode representar a busca de fama, poder, ascensão na carreira, na vida, no amor, em algo factível, porém irreal hoje. Por isso ele chama essa busca de um sonho audaz. O mudar de cor do céu aqui pode não só representar a noite (momento em que é incomum virmos pássaros voando), como também o aproximar-se de uma tempestade (quando o céu muda bruscamente de cor, escurecendo e enchendo-se de nimbus). Interessante que ele não fala de escuridão, nem a alude em momento algum, então este mudar de cor, pode representar algum momento, posterior ao início da busca por um sonho, onde passamos a ver nossos alvos, objetivos e destino sob uma nova perspectiva, talvez mais madura - ou menos - eivada de ilusão, quando percebemos que o céu não é “sempre azul”. Ele também muda de cor, ou seja, tudo na vida muda, e nem sempre as coisas irão de vento em popa só porque estamos “correndo atrás” do nosso sonho. Anjos de gás poderia aqui ser uma alusão à pessoas que te ajudam na busca do seu sonho, quem nem sempre vemos ou percebemos, mas que também estão te “botando pra cima” agora e num instante seguinte se dissipam, como o gás dilui-se no ar. Asas de ilusão podem representar construções mentais que te levam a achar-se no controle de seu vôo em busca ao sucesso, mas totalmente frágeis quando expostas ao Sol. Aqui o Sol simbolizaria o fogo que prova todas as coisas. O que é frágil derrete-se ou queima, e o que é de valor pode até fundir, mas apenas purifica-se e torna-se mais forte.
No ar, no ar
Eu sou assim
Brilho do farol
Além do mais
Amargo fim
Simplesmente sol...

Fugindo duma linha dual, diria que a segunda estrofe é mais objetiva em sua simbologia. Seja por capricho, vaidade, orgulho ou mesmo inocência (imaturidade talvez caiba melhor aqui), o nosso protagonista justifica-se nas palavras do autor “Eu sou assim”, como que num ato de auto-indulgência, justificando sua atitude inadequada ante o vislumbre do poder, das conquistas, do “voar” em si. Na seqüência, ele faz referência ao farol, algo que, ainda que possamos ampliar sua conotação e significação, refere-se, numa primeira imagem mental, àquela luz capaz de nortear os navegantes durante a noite. Ou seja, ele relembra que apesar de poder estar parecendo voar incautamente, ele tem um norte, que seria o farol. Provavelmente Ícaro e seu pai fugiram do labirinto de Minos durante a madrugada, e seu pai havia orientado ao jovem que não voasse nem próximo ao Sol (para não derreter-se a cera) nem próximo demais ao mar (para que as asas não ficassem pesadas pela umidade). Só que o farol, o norte aqui referenciado, só tem finalidade durante à noite, logo, após algum tempo de vôo, conforme o Céu muda de cor e o dia raia, deixa de ser objeto de atenção e este passa a ser o Sol, justamente seduzindo o autor, que identifica-se com Ícaro, e levando-o ao amargo fim. Ou seja, ao perder os olhos daquilo que referenciava o vôo, o protagonista fica “vislumbrado” com o brilho e calor do Sol, e acredita que pode voar sem risco mais próximo a ele, para sua ruína. Assim também na vida, acreditamos que quando tudo está indo bem podemos dar passos maiores que a perna, e muitas das vezes nos machucamos por causa disso, só então para vermos que não era bem assim.
Rock do bom
Ou quem sabe jazz
Som sobre som
Bem mais, bem mais...

A ascensão do protagonista da história é provavelmente uma trajetória musical, seja como autor, compositor ou alguém ligado à música, shows musicais, porque ele menciona gêneros em evidência à época da composição e cria um paralelismo entre som e bem mais, como demonstrasse que para ele o som não é apenas a música que se ouve, mas também viver-se da música e dela subtrair muitas coisas. (bem mais)

O que sai de mim
Vem do prazer
De querer sentir
O que eu não posso ter
O que faz de mim
Ser o que sou
É gostar de ir
Por onde, ninguém for...

Por um lado temos uma aparente referência a um amor proibido, platônico ou algo proibido, não necessariamente romântico, como uma experiência com drogas ilícitas, com uma pessoa de outra orientação sexual (levar em conta a época da música), ou alguma conduta complicada do ponto de vista profissional. (De querer SENTIR o que eu não posso TER). Há posse, certo hedonismo e certa ‘coisificação’ da pessoa, no caso de uma referência romântica.
Existe uma retomada aqui da questão da auto-indulgência e do explicar-se na canção. O autor justifica as atitudes muitas das vezes vaidosas, imaturas ou impensadas do protagonista pelo fato de simplesmente estar buscando o prazer, sendo quem ele é, como se isso não fosse algo imoral em si, mas válido, e desnuda que o protagonista tem uma grande ambição, um desejo de primazia, pioneirismo, inovação. Ele gosta de tentar, de ir onde ninguém foi. Talvez essa inovação seja uma crítica à censura que ainda existia na época ou à formas de opressão e limite que existem em todas as estruturas de poder. As famosas “regras do jogo” de todo ramo.
Do alto coração
Mais alto coração...

Dois caminhos: o coração auto-exaltado, daquele que está deslumbrado com o sucesso, ou novamente uma justificativa para as atitudes de alguém extremamente emotivo e passional, cuja motivação está lá nas alturas do coração. (seja lá onde isso fique...rs)
Abaixo daqui inconcluso.
Viver, viver
E não fingir
Esconder no olhar
Pedir não mais
Que permitir
Jogos de azar
Fauno lunar (*)
Sombras no porão
E um show vulgar
Todo verão...

Fugir meu bem
Pra ser feliz
Só no pólo sul
Não vou mudar
Do meu país
Nem vestir azul...

Faça o sinal
Cante uma canção
Sentimental
Em qualquer tom...

Repetir o amor
Já satisfaz
Dentro do bombom
Há um licor a mais
Ir até que um dia
Chegue enfim
Em que o sol derreta
A cera até o fim...

Do alto, coração
Mais alto, coração...

Faça o sinal
Cante uma canção
Sentimental
Em qualquer tom...

Repetir o amor
Já satisfaz
Dentro do bombom
Há um licor a mais
Ir até que um dia
Chegue enfim
Em que o sol derreta
A cera até o fim...

Do alto, o coração
Mais alto, o coração...(2x)



* Considerações sobre o Fauno Lunar.


Na mitologia grega, que às vezes mistura-se à história em alguns registros, fala-se que houve um marinheiro chamado Fauno. Esse camarada foi apaixonado por uma poetisa, chamada Safo, nascida em Lesbos. Diz-se que as palavras safada e lésbica são derivadas respectivamente dos nomes já citados.
Bem, dizem que ele pediu poderes de sedução à Afrodite, e que conseguiu conquistar a poetisa.
Dizem que ela era muito doida, e também muito linda, considerada a Décima Musa por alguns autores. Também é dito que ela não tinha o biotipo padrão de beleza grega, sendo magra e altiva, contrastando com as mulheres mais carnudinhas que os gregos adoravam. Pois bem, com seu físico de top model, cabelos negros e poucos pudores, Safo é uma personagem controversa.
Mas porque eu quis entrar nisso? Pois bem, o Fauno também é conhecido como um semideus, pai de todos os sátiros, e também sátiro, muitas vezes confundido com o deus Pã, ainda que alguns puristas digam que o sincretismo é defeituoso aqui e que de fato o Fauno seria um personagem essencialmente romano, não possuindo uma contraparte precisa na cultura grega. Chama-se de Fauno Lupercus, uma importante caverna das narrativas da mitologia grega. Se eu não me engano era lá que se refugiava a Cabra Amaltéia, que amamentou o próprio Zeus. Pois bem, o Fauno tinha uma simbologia ligada à floresta, aos bosques, e à proteção contra os animais selvagens, em particular contra os lobos. Algo que seria semelhante no catolicismo a dizer que São Fauno era o santo protetor dos silvícolas, santo protetor contra as feras. Então, atenho-me aos lobos. O lobo é um animal de presença multicontinental, conhecido por todas as culturas civilizadas desde o Egito antigo, e tem uma associação simbólica muito grande com a Lua. A Lua atraí os Lobos, o Fauno repele-os. Fauno Lunar seria então uma antítese paradoxal. Ou contra-senso. Fauno Lunar diria respeito às contradições que permeiam a vida de uma pessoa. Já encontrou alguma pessoa que disse pra você assim: eu não entendo, reclamo tanto de cara cafageste e fui namorar com um; ah, eu tenho dedo podre pra mulher, sempre arrumo mulher golpista, e eu sou super certinho com dinheiro. O Fauno Lunar é o símbolo daquela pessoa que atraí o que deveria repelir e às vezes repele aquilo que deveria atrair. É a significação máxima da contradição e complexidade humana.

46 comentários:

amanda seabra disse...

doideira!!! diversas vezes ouvi essa música, q não sei bem por quê é uma das que mais gosto... ela é inebriante, tem uma musicalidade misteriosa, mas o q mais me seduz é que não tem uma interpretação fácil. não diz absolutamente nada claramente. tudo fica subentendido, ou nada... ou não... seja lá o q foi intenção do autor dizer, não tenho competência para entender... mas gostei da sua análise...

amanda seabra disse...

doideira!!! diversas vezes ouvi essa música, q não sei bem por quê é uma das que mais gosto... ela é inebriante, tem uma musicalidade misteriosa, mas o q mais me seduz é que não tem uma interpretação fácil. não diz absolutamente nada claramente. tudo fica subentendido, ou nada... ou não... seja lá o q foi intenção do autor dizer, não tenho competência para entender... mas gostei da sua análise...

Aline Lopes de Oliveira disse...

Uma amiga do trabalho e eu, acabamos de imprimir a letra da música, para uma análise da letra, e nem conhecíamos o blog!! Parabéns ao autor. Não imaginávamos que existiam pessoas mais loucas do que nós!!! Enfim, não conseguimos chegar a um consenso tão bom quanto a do autor!! Isso é para poucos..
Beijos...Abraços

Suely Andrade disse...

Belo trabalho de análise interpretativa o seu!

Unknown disse...

Simplesmente Incrível. Parabéns! Sei que isso é fruto de bastante pesquisa e um grande poder cognitivo.

Você é a Alemanha da copa 2014 contra o Brasil.
Show de bola!

Unknown disse...

CURIOSO, EU OUVI ESSA MÚSICA EM 1981 OU 82 quando era criança e adorava ela. Hoje com quase 50 ainda gosto, e não sei porque falam tão mal do Biafra, diante da nojeiras que surgiriam depois ele era um dos bons. Adorei a análise do autor que nunca mais voltará postar. também nunca mais voltarei a comentar .

Alan Homobono disse...

Tem que ter muito conhecimento pra fazer uma análise dessas. Parabéns! Fez-me aprender um pouco mais sobre os possíveis significados desse sucesso musical.

Redação disse...

Podem me chamar de pervertido. Mas sempre vi nesta letra um homossexual se masturbando em fantasias sem fim. A explicação da frase "Dentro do bombom há um licor a mais", sempre me pareceu bastante clara sob a ótica de uma narrativa gay. O bombom é a glande, que sempre guarda um pouco de semen, que às vezes sai sem querer. Ou aquele último esguicho inesperado.
Fora isto, nota-se um conflito forte de personalidade no ser refletido na canção. "Descer até o céu cair ou mudar de cor". O cara quer ir de encontro a todas as consequências de assumir sua homossexualidade perante a sociedade, sendo deixado de lado pelo preconceito de amigos e família ou "mudar de cor", que vemos mais a frente que é o azul. Cor máxima da representação masculina.
Enfim, são diversos pontos, não estou com muito tempo para prosseguir o comentário, mas acho sim que esta música é um grito de um gay tentando sair do armário.

Cósmica Poeira disse...

Nem perdi meu tempo lendo no que se escreveu aqui
gente pra começar porque nem tão nobre... vão se enxergar! se essa música nem a letra vos fazem bem, em que mundo vocês vivem? Num planeta terra onde o mundo é um montinho de terra?

olhem para dentro, se enxerguem se entupam de vocês mesmos até o céu cair ou mudar de cor.

paz a todos

chacoalhão mesmo! em vocês

Unknown disse...

Vllw cara parabéns ae mesmo
tenho 14 anos e quase fui internado tentando decifrar essa música
e vc me ajudou bastante.
brigadão e aquele abraço

Simone reis disse...

Eu tinha interpretado diferente "voar até o céu cair" como a mídia é iluminatti infelizmente é uma alusão ao inferno. Mudar de cor de azul pra vermho por e exemplo 💁 amo essa música e a interpretação do abiagra mas foi o q entendi 💁rs.

lucas disse...

é DIGUINHO.........seu comentario é sua personalidade kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Unknown disse...

Esse Pisca devia ser gay enrustido ou coisa assim!!

Unknown disse...

Ok quer entender a musica 1 seja romantico 2 é preciso ter amado ou amar alguém 3 é preciso ter cultura ser intelectual 4 faça a sua própria interpretação dentro do que é cabivel é claro! O altor expressou seus mais intimos sentimentos com base en seus sonhos e imaginação aliado ao estilo musical o que vejo é um homem apaixonado com sonhos audaciosos cujo amor é proibido ou inalcancavel contudo tal situação o intriga e machuca a ponto de sofrer um amargo fim por nao alcançar seus obejetivos mais sonhar ainda que audaz é válido já que o mesmo não pode ser real é preciso ser sensível desculpe os que não são. Quer treinar seus sentimentos se tiver as propiedades acima no inicio citado, ouça (astronalta de marmore) lembre-se nem tudo deve se levar para uma sentimento romântico a também a solidão sofrimentos.....

Unknown disse...

Ok quer entender a musica 1 seja romantico 2 é preciso ter amado ou amar alguém 3 é preciso ter cultura ser intelectual 4 faça a sua própria interpretação dentro do que é cabivel é claro! O altor expressou seus mais intimos sentimentos com base en seus sonhos e imaginação aliado ao estilo musical o que vejo é um homem apaixonado com sonhos audaciosos cujo amor é proibido ou inalcancavel contudo tal situação o intriga e machuca a ponto de sofrer um amargo fim por nao alcançar seus obejetivos mais sonhar ainda que audaz é válido já que o mesmo não pode ser real é preciso ser sensível desculpe os que não são. Quer treinar seus sentimentos se tiver as propiedades acima no inicio citado, ouça (astronalta de marmore) lembre-se nem tudo deve se levar para uma sentimento romântico a também a solidão sofrimentos.....

Unknown disse...

Impressionante saber que outras pessoas se sentem tão mexidas com essa letra e música quando eu e, que também querem interpreta la rs. Ao meu ver e modesto entendimento a canção tem conotação de amor platônico (repetir o amor já satisfaz) movido pelo alto coração ("O coração quer o que o coração quer" Sado), o que leva o protagonista a máxima exposição (um show vulgar) com plena consciência de de que esse sonho audaz é ilusão (até do céu cair). Concluo então que não há pretensão de mudanças (Eu sou assim... O que faz de mim ser o que sou), porque tudo isso de alguma forma o agrada (o que sai de mim vem do prazer de querer sentir o que eu não posso ter) o que novamente remete à ideia de amor platônico. O protagonista me passa a impressão de está vivendo num momento de dor, sofrimento, solidão (viver e não fingir... esconder no olhar...fauno lunar, sombras do porão) e que a intenção do protagonista é levar a situação até a última consequência (ir até que um dia chegue enfim em que o sol derreta a cera até o fim). Pra mim é isso! ;)

Unknown disse...

Acho que a música é uma coleção de metáforas sobre a vida de um artista (do meio musical)
enquanto persegue seu sonho do sucesso. A música sempre contrasta este sonho com uma
inevitável e triste realidade. Já na primeira estrofe descreve o sonho de sucesso (subir,
subir, o sonho audaz), a determinação em atingí-lo (ir por onde for) e o constraste com
a realidade, a ilusão dos falsos amigos, a queda, o ocaso, ou simplesmente a constatação
do fracasso (o céu mudar de cor).

Na segunda estrofe, fala que viver o sonho é perseguir o sucesso (o brilho do farol)
para, no fim, se dar conta da triste realidade: o brilho era o do sol, o fracasso
(o amargo fim), como na história de Ícaro.

Na terceira estrofe devaneia, imaginando seu sucesso advindo talvez de um rock bom ou,
quem sabe, jazz (note a similaridade com a palavra jaz, que implica em ocaso, morte),
seguido, então, de muito mais músicas de sucesso.

Na quarta estrofe, fala de si mesmo como compositor, sua motivação baseada em sentir
o almejado sucesso, que ele sabe que não vai ter (pois trata-se do sonho de Ícaro).
Comenta que nao quer ter sucesso fazendo mais do mesmo. Ao contrário, quer ir onde
ninguém foi, com algo novo e de qualidade. Algo autêntico, que vem do coração (5a
estrofe).

Na 6a estrofe ele descreve sua frustração com a realidade. Gostaria de fazer o que diz
seu coração, viver sem fingir, sem esconder, fazer o que quer e acredita ter qualidade.
Mas sua realidade é viver no ambiente da música, como ele é, fazendo shows vulgares, todo
o verão, em lugares onde eh o fauno lunar (quem leva a diversão na noite), onde se
envolve com drogas (sombras no porão).

Talvez na 6a estrofe tb haja referência à repressão da década de 70/80, dos governos
militares (as sombras no porão, os jogos de azar, a censura). Daí a solução ser a fuga
do pais (na 7a estrofe). Mas seguindo minha ideia de que ele fala da jornada de um
artista, prefiro imaginar que a 7a estrofe se refere a possibilidade de desistir do
sonho. Ele diz que não vai fugir/desistir, que isso é impensável (só no polo sul).
Ele nao vai mudar, nao vai desistir do seu sonho, não vai se conformar (vestir azul,
ser como os outros).

Então, na estrofe 8, ele descreve o desfecho inevitável... para viver, tem que aceitar
qualquer canção sentimental, em qualquer tom, tanto faz. Viola seus princípios ao fazer
o mesmo que todos (repetir o amor, cantar a mesma canção romântica pra agradar, ser
popular), sempre com a esperança de conseguir algo a mais (o licor a mais). E segue assim
até o triste fim, quando a cera vai se derreter, como com Ícaro.

No fim, acho que eh uma canção bem melancólica.

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

Amo, e sempre amei essa música, e para mim sempre foi um mistério, diante de tantas metáforas, comparações e mitologia, não podemos nos esquecer que Ícaro conseguiu asas de cera e foi avisado por Dédalo para não se aproximar do sol, pois o sol derreteria a cera, mostrando aí o desejo do homem em sempre querer avançar e o desejo incansável de alcançar o impossível.
Amei sua interpretação. Parabéns... Você mostrou conhecimento, sabedoria, sensibilidade.

Unknown disse...

Ele tá assumundo que é gay na época da musina tudo era muito reprimido eu sempre achei que era essa a mensagem que a musica queria passar .

Unknown disse...

Gostei da sua analise sobre esta letra. Parabens pela iniciativa e pelo trabalho. O saudoso Piska merece esta homenagem.

Peço permissao para comentar com minha percepçao analítica sobre o trecho abaixo:

"Fugir meu bem
Pra ser feliz
Só no polo sul
Não vou mudar
Do meu pais
Nem vestir azul
faça o sinal..."

Bem, esta musica foi escrita em meados da decada de 70 (lançada na década de 80). Era final de ditadura militar. O Compositor Piska havia acabado de se mudar para o RJ e conhecer o pessoal da MPB (Caetano, Elis e Companhia) . Meu entendimento eh que esta parte da musica é aquela pitada de protesto oculta nas letras daquela turma. O poeta se nega a fugir (do Brasil e da ditadura) para ser feliz... poeticamente grita que "nao vai mudar do seu pais" e que tambem se nega a defender o regime militar, que seria alusivo ao "vestir o azul" da farda. "Faça o sinal, cante uma cançao" é um conclame à juventude rebelde.

abs e novamente parabéns.

Fábio Pampolha disse...

Olá! Belo post, muito interessante mesmo! Nos faz bem irmos sempre em busca do conhecimento, buscar o esclarecimento do que é ou está obscuro. Desvendar enigmas. De fato isso tudo é fascinante, além de tirar nossa mente do ócio, fundamental também é sermos pensadores,seja em que circunstância. Seguindo o raciocínio do assunto, não devemos esquecer que o autor se embasou bastante na Mitologia Grega. Ícaro, nos remete a pensar em altitude, o que justifica os trechos em que o autor diz: "voar, voar ,subir ,subir..." A partir desse entendimento, compete a cada um de nós dar asas ao nosso entendimento e buscar decifrar esta belíssima letra. Bom, Ícaro, segundo a Mitologia Grega era filho de Dédalo. Os dois teriam sido aprisionados em um labirinto onde existia o minotauro. Ícaro e Dédalo então tiveram a ideia de construir asas a partir da cera e penas, para assim então alçarem voo e por fim fugirem do tal labirinto. Dédalo alertou a Ícaro que jamais voasse alto demais, pois assim o sol derreteria a cera e Ícaro morreria caindo no mar Egeu.

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

Interpretação rica, inteligente, madura ... de quem sabe viver...
Parabéns!

Anônimo disse...

Ou a letra fala de um músico gay apaixonado e rebelde que usa drogas na época da repressão, e que compôs a música "chapado" enquanto fazia uma viagem de balão durante um show vulgar em um verão qualquer. Kkkk Tudo junto e misturado ;)

Unknown disse...

tudo foi respondido sobre o autor Piska (Carlos Alberto Piazolli) por Jose Maria Cavalcante
em

https://bollog.wordpress.com/2013/11/17/biafra/

abracos

Unknown disse...

A melhor forma de ver a canção até agora... Parabéns!

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

https://bollog.wordpress.com/2013/11/17/biafra/

Eu acho que o dono do blogger precisa misturar menos com suas convicções.
Vejam no link que deixo aqui, o posicionamento do autor da música.

Unknown disse...

Perfeito, Silvio. Também tinha visto este link. Bem melhor do que as colocações do autor deste blog. Nada surpreendente as infelizes interpretações feitas aqui por outras pessoas. Seja qual for a música, escrita, acredito eu, que só pode ser explicado pelo autor. Qualquer interpretação advinda de outrem, sempre tropeçaram. Sempre seremos levados a convicções, modelos mentais, carga cultural e nossos interesses. Sempre veremos pelas lentes do mindset que temos no momento atual.

Unknown disse...

Isso é o que me encanta também...a interpretação fica por conta de cada "coração" que escuta essa música.

Unknown disse...

Deveria ser mais educado ao se referir ao cantor Biafra... afinal 99 por cento das pessoas gostam dessa interpretação do cantor... se mostrou muito instruído e pouco nobre...

Unknown disse...

Gostei muito dessa interpretação! Mais ainda do Fauno Lunar!Faz sentido. Parabéns.

João Luiz Forte disse...

Interpretação muito boa. Para contribuir, acho que "anjos de gás" seriam as nuvens. "Asas de ilusão" as asas de icaro que eram de cera. Quanto mais ele se aproximasse do sol tanto suas asas derreteriam. Asas de cera são ilusão, não são efetivas para voar. Só sonho. O rapaz que fez essa música era um sonhador, apaixonado("o que sai de mim vem do prazer") " de querer sentir o que não posso ter". Todos não somos pura emoção, somos instintivamente animais sentimentais, egoistas. Seria um amor platônico, ideal, mas inalcançável. Faz parte da nossas origens humanas, dos sentimentos. o autor da música fala de uma paixão. E se declara egoico. Quando diz que ele é o farol, a luz. Essa música é uma alto análise psicologoca do autor. Ele está se revelando através de poesia e mitologia. Uma paixão. Proibida ou não retribuída. Amor platônico.

brasil disse...

Discordo amplamente do texto sobre SONHO DE ÍCARO. na verdade achei meio sem sentido toda essa mistura e adivinhações. A letra refere-se puramente à Cultura Grega, Ilha de Creta, onde o filho de Dédalo torna-se um monstro Minotauro... SONHO DE ÍCARO é extasiante, pois, realmente Ícaro voou com asas de cera com penas de pássaros; seu pai o acompanhou sempre observando que não subisse tanto, precisavam apenas atravessar o mar Egeu... No entanto, a lendária historia diz que Ícaro ao aproximar-se muito do Sol teve suas asas derretidas indo despencar ao Mar morrendo instantaneamente. por isso o "voar voar subir subir" "anjo de Gaz" "asas de ilusão"...lindíssima essa musica e letra. Parabéns aos compositores!

Unknown disse...

Adorei! Que viagem fantástica!

Mônica Guimarães disse...

Comecei a ler e também desisti.Porque as pessoas tem a mania de desmerecer outras pessoas gratuitamente. Gostei das suas colocações. Mania boba de se achar superior. Saiba que devido a músicas interpretadas por( ao seu julgo) não tão nobre que faz pessoas irem se aprofundar no conhecimento e quando percebem estão com obras primas nas mãos,lendo sobre mitologia. Arrogância já não cabe mais.

Blogger do operário autêntico. disse...

Show.

Ana Maria disse...

Gosto da música e do Biafra cantando essa canção. Nunca saberemos o que foi pensado pelo(s) autor(es), acredito. Foi bacana ler a interpretação (acima)...São possibilidades!!!

Marcio S Ramos disse...

Querido desconhecido (já que você não se identificou ao comentar), não existem interpretações infelizes. Só existem interpretações. A riqueza das metáforas está nas possibilidades.
Me senti na obrigação de enriquecer sua contribuição chamando a atenção pra esse lado rico e incontrolável das metáforas. Sejam quais forem!
Grande abraço!

Marcio S Ramos disse...

Saudações ao dono do blog e a todos que dedicaram seu tempo em escrever comentários aqui.
Quero só contribuir, já que vi parte de minha interpretação colocada em alguns comentários.
Minha contribuição é a seguinte: -a letra foi escrita em cima de uma história mitológica bem conhecida de todos. Interpretando a letra por essa ótica já estaríamos satisfeitos. Pois seria o lirismo musical de um fato mitológico com implicância moral. Ok! Até tudo certo. Mas estamos diante de arte. E arte é a liberdade humana de se fortalecer (e outras atitudes mais) consumindo metáforas, alusões.
Todos os comentários aqui colocados são válidos e só me ajudaram a confirmar a riqueza dessa letra. Tenho minha interpretação particular dessa obra rica, mas peço aos mais radicais que aceitem que todas as interpretações nunca sairão do campo da particularidade para se tornarem verdades absolutas. Se assim fosse, a beleza e riqueza da arte estariam morta e a arte seria pra sempre uma produção sem valor cultural.
Espero ter me feito entender.
Abraço a todos. E parabéns ao dono do blog por ter colocado sua interpretação a nossa disposição.

Unknown disse...

Adorei essa interpretação

Unknown disse...

Hoje em dia a juventude é muda e cega pelos smartphones...

Carlos Nunes disse...

Entendo nela que a vida não faz sentido nenhum , é MT agradável de ouvir mas traz em aí a tristeza .

Unknown disse...

Uau! Melhor forma de ver a música que eu já li até agora. Parabéns!

Tenório disse...

As interpretações são o máximo para cada pessoa que ouvi e tenta destiguir o seu significado seja da mitologia grega ou dos tempos atuais, e preciso conhecer a história antes de qualquer análise e aí tentar junto a canção o seu significado que para cada pessoa e singular e sua as alusões, metáforas tudo e válido e viajar nesse mundo e o máximo de nossa sabedoria